SANTA CATARINA: EDILIDADE INSTA EMIGRANTES A INVESTIREM EM PROJETOS TURÍSTICOS NO CONCELHO

  

O presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, José Alves Fernandes, anunciou sábado, que a edilidade em parceria com o Governo está a elaborar projetos rentáveis na área do turismo e instou os emigrantes a investirem neste setor.

 

“O modelo de turismo que analisamos com o Governo não é o mesmo do das ilhas do Sal e Boa Vista, mas um modelo que vós emigrantes, vão colocar o vosso dinheiro e vai render muito mais do que deixa-lo nos bancos comerciais”, disse o edil santa-catarinense.

O autarca falava durante um encontro de emigrantes, que estão de férias no concelho de Santa Catarina, realizado sob o lema “Ku Emigrantis, Djunto pa Continua ta Fazi” (Com os Emigrantes para Continuar a Fazer), que decorreu no Salão Nobre dos Paços do concelho e culminou com um jantar convívio.

Após a sua conclusão do projeto, que conforme José Alves Fernandes encontra-se numa fase “bem avançada”, serão fornecidas todas as informações de como os emigrantes podem investir.

Projeto para Zonas de Desenvolvimento Turístico Integrado ( ZDTI), que iniciam de Rincão até Achada Leite, piscinas municipais e aquaparque, são os projetos “ambiciosos” que a edilidade santa-catarinense quer contar com os emigrantes para a sua materialização nos próximos tempos.

Tendo em conta que Santa Catarina tem duas zonas marítimas, que encontram-se “destruídas” pela apanha de areia e que não são praias balneares, a autarquia acredita que piscina municipal e aquaparque “são bons investimentos para os emigrantes”.

É nesta linha que o autarca acredita que, se tais projetos forem bem implementados, vão atrair mais pessoas para Santa Catarina e ainda permitir que a cidade de Assomada e o concelho desenvolvem.

Na ocasião, a edilidade aproveitou o encontro para informar os emigrantes dos projetos realizados e em execução, tendo destacado as obras da requalificação do centro da cidade de Assomada, a serem inauguradas em Setembro, desencravamento e energia elétrica de várias localidades e transformação de Pilorinho de Assomada em Casa das Artes que vai, igualmente, albergar um auditório de nível, com lojas alimentares, orçadas em 175 mil contos.

Todos esses investimentos, no dizer de José Fernandes, têm como propósito atrair pessoas para Santa Catarina, tendo projetado transformar até 2020 Assomada numa “cidade de referência”, tendo em conta que nos próximos anos têm 607 mil contos do Governo para investimentos em vários domínios.

Relativamente à requalificação de Assomada, que vai torná-la numa “cidade moderna, competitiva e que da gosto de residir, passear e de investir”, explicou que a mesma vai ao encontro das perspectivas dos emigrantes, sustentando que a mesma vai permitir um “padrão de vida” a semelhança das cidades onde vivem atualmente, sobretudo, no que tange a segurança alimentar.

O presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina pediu os emigrantes a ajudar a edilidade com os projetos socais Casa de Sopa e Loja Social abertas recentemente.

Em conversa com a Inforpress, os emigrantes consideraram os projetos apresentados “interessantes”, mas no entanto questionam se vale a pena investir se ainda existem “muitas burocracias” nos serviços, principalmente nas alfândegas.

Por outro lado, foram unânimes em afirmar que o concelho de Santa Catarina está a mudar e a ganhar um aspecto semelhante a qualquer cidade de onde vivem, o que os orgulha e dá gosto de regressar todos os anos e, quiçá, com reforma regressar ao torrão natal e investir.

Na ocasião, a edilidade homenageou dois emigrantes (Orlando Tavares e António Tavares) que, através de associações na diáspora, têm contribuído para o desenvolvimento de Santa Catarina, enviado donativos desde equipamentos informáticos, bombeiros, ambulâncias e entre outros equipamentos.

 

FONTE: SAPONOTÍCIAS

 

© www.anmcv.com - 2010
Dom DigitalProduzido por Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.