Protecção Civil: Conselho Municipal reúne-se para preparar época das chuvas

Considerando o arranque da época das chuvas e no quadro das acções de prevenção que devem ser programadas para fazer face a eventuais situações de emergência, a Câmara Municipal, através do Pelouro da Protecção Civil, reuniu quarta-feira, 9, os membros do Conselho Municipal da Protecção Civil (CMPC) dos Mosteiros, num encontro que serviu para socializar e debater algumas medidas preventivas, no sentido de minimizar, em tempo útil, os efeitos nefastos de possíveis danos que podem ser causados por fenómenos meteorológicos adversos.

A reunião do CMPC teve lugar no Salão Nobre do Paços do Concelho e foi presidido pelo vereador que tutela este sector na Câmara Municipal dos Mosteiros. Jaime Monteiro, que também representou o edil mosteirense, ausente por motivos de saúde, apresentou aos participantes o quadro actual do CMPC.

O autarca falou na “necessidade de reorganização imediata do Conselho Municipal de Operações de Emergência e de Protecção Civil, reactivação e entrada em funcionamento do Centro de Operações de Emergência, identificação de todos os meios existentes no município e estabelecimento de um plano de acção conjunta, congregando as diferentes instituições que compõem o CMPC”.

No tocante às medidas preventivas, o CMPC estipulou como prioridades a limpeza de lixo e escombros depositados nos cursos e vales de água, a identificação de locais com possibilidades de deslizamentos de terra e derrocada de rochas e a inspecção de moradias velhas, que podem constituir risco para os ocupantes e pardieiros abandonados em ruínas. Está também prevista no plano de acção preventiva a identificação de diques, muros e outras obras que poderão ruir com a queda das chuvas, bem como zonas inundáveis.

Os participantes apontaram também para a necessidade e importância de identificar fossas abertas e a céu aberto, lixeiras e outros locais que podem constituir riscos para a saúde pública com a queda das chuvas, devido à proliferação de mosquitos. Neste particular, há já agentes de dengue, afectos à Delegacia de Saúde, no terreno, procedendo à identificação dos espaços e sua pulverização.

O CMPC identificou também nesta reunião alguns pontos de refúgio, para caso de necessidade de evacuação de pessoas e bens.

O conselho abordou ainda questões relativas às práticas humanas que podem por em risco, além de vidas humanas, a flora e a fauna locais, como as queimadas, muito comuns por esta altura do ano. A responsabilização e penalização são, segundo o CMPC, os caminhos a seguir para pôr cobro a esta prática.

Curiosamente, à hora da reunião do CMPC, um fogo, alegadamente posto, deflagrava numa zona do perímetro florestal de Monte Velha, que só não resultou em prejuízos de maior devido à rápida intervenção das autoridades municipais e da delegação do MDR.

© www.anmcv.com - 2010
Dom DigitalProduzido por Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.