Atividades económica

Santa Cruz tem no sector primário a sua principal atividade económica. Com efeito, a agricultura e a pecuária bem como a pesca, esta particularmente na cidade de Pedra Badejo, são os principais absorvedores da mão-de-obra e produtores da riqueza municipal.

De forma progressiva o sector terciário, particularmente os serviços e a hotelaria e o turismo, começa a ganhar uma nova dinâmica de desenvolvimento, a par do sector do comércio.

O sector secundário, das indústrias extrativas, de mineração e de transformação não são muito significativos. Contudo, o sector da carpintaria e marcenaria apresenta alguma presença na cidade de Pedra Badejo. As potencialidades no sector da transformação agroalimentar são importantes, como chegou a acontecer no passado. Prevê-se ainda a implantação de uma indústria de produção de cimentos que, em se concretizar, poderá dinamizar ainda mais a economia do município. 

 

Agricultura

No sector da Agricultura houve, nos últimos anos, importantes investimentos na modernização do sistema de rega, com a introdução de irrigação gota-a-gota, a hidroponia e sistemas de retenção e distribuição de água da chuva (barragens, cisternas e condutas de água). A par desses investimentos destacam-se a formação profissional no sector agro-pecuário, destinada sobretudo aos jovens do Concelho.

Pratica se tanto a agricultura de Regadio como de sequeiro.A agricultura de sequeiro é praticada nas zonas mais a montante do município, enquanto a agricultura de regadio temporário e permanente localiza-se nas zonas a jusante das ribeiras, nos vales profundos e zonas do litoral.

O município possui uma das maiores áreas de regadio do país, ocupando tradicionalmente as hortícolas. Santa Cruz destaca-se por possuir uma das maiores plantações de bananas do país, agora nas mãos da Associação dos Trabalhadores do Sector Agrícola de Justino Lopes (zonas de Aguada e de Monte Negro). No entanto, as tendências atuais apontam para uma redução significativa da área ocupada pela bananeira, como consequência direta da seca acentuada aliada à consequente redução dos recursos hídricos, à exploração desregrada de inertes nas praias e à sobre-exposição das águas subterrâneas (poços e furos) com efeito imediato na salinidade da água de rega e salinização dos solos.

Em regime de sequeiro, cultiva-se essencialmente, o milho, os feijões e os tubérculos. A agricultura de regadio é praticada com maior expressão nas principais bacias hidrográficas do concelho (Ribeira Seca e Ribeira dos Picos). No regadio cultivam-se essencialmente hortícolas, fruteiras, raízes e tubérculos. 

As formas de exploração da terra, tanto no regadio como no regime de sequeiro, prevalecem a exploração da terra por conta própria, a parceria e o arrendamento. 
 

Pecuária

O Sector pecuário (criação de gado) constitui uma actividade complementar a de agricultura e tem tido grande importância na economia de Santa Cruz, é impossível falar de agricultura sem falar da pecuária. Os dois sectores estão interligados, não só pela complementaridade, mas também pela necessidade de consumo de carnes, ovos e outros proteicos. Grande percentagem da criação de gado existente é do tipo familiar.

Importa referir a introdução de raças melhoradas e a organização dos criadores em Cooperativa de forma a contribuírem para a dinamização da Ecomonia local e nacional.
 

Industria

A indústria é incipiente, e tal como acontece na maior parte do território nacional, é de pequena dimensão, existindo algumas unidades de cariz artesanal, ou de carpintaria, serralharia e mecânica, e de transformação de materiais para o setor de construção de habitações.
 

Comercio

Historicamente o comércio no Concelho não passava de feiras em dias certos onde se reuniam feirantes e populações para compra e venda de produtos. Os produtos manuais tinham grande ênfase no mercado, como por exemplo, os balaios de carriço ou cordas, as esteiras de ripas de folhas de bananeiras, etc. No mesmo espaço aproveitavam as famílias para expor e vender os produtos pecuários domésticos em pequena quantidade. Da mesma forma os produtos agrícolas se escoavam através deste tipo de comércio.

Com base na técnica da observação directa e participativa é de referenciar dois aspectos relevantes do desenvolvimento comercial: o comércio informal ganha nova expressão no mercado onde muitas famílias usam as suas casas para vender e revender os seus produtos. É habitual as pessoas usarem as suas casas, barracas, ou pequenos quiosques para matança de porcos, vacas, galinhas e cabras, e ainda para venda a retalho. Tais práticas não garantem nenhuma segurança alimentar e carecem de qualquer tipo de inspecção, por outro lado têm o seu ponto positivo dado que as famílias são pobres e obtêm um rendimento através desta prática comercial.

O segundo aspecto refere-se ao aparecimento dos minimercados no Concelho competindo concorrencialmente com outras práticas comerciais pouco formais. É um tipo de mercado formal que está a ganhar terreno com garantia de maior qualidade. Segundo o levantamento feito nas zonas administrativas, alguns estão instalados nos principais centros urbanos, havendo zonas com dois ou três em média. Este segundo aspecto saliente traz grandes vantagens para o Concelho na medida em que são garantidas a quantidade e a qualidade.

O Comércio ganhou um novo impulso com a construção do Novo Mercado e Centro Comercial que têm permitido a intensificação das actividades comerciais entre os Concelhos do Interior de Santiago.)

 

Pesca

A pesca artesanal representa a base de subsistência de muitas famílias dos arredores da vila de Pedra Badejo, nomeadamente de Achada Ponta, Monte Negro, Baía Curta, Areia Branca e Achada Laja. Nessas comunidades, as atividades económicas da pesca e da agricultura têm sido praticadas em paralelo. Devido às baixas capturas nessas localidades, muitos dos pescadores principalmente os de Achada Ponta e Pedra Badejo migram para as ilhas de Boavista e Maio onde existe um potencial haliêutico maior. 

Nos últimos tempos varias ações foram, implementadas no sentido de apoiar o sector das Pesca em Santa Cruz:

Estão em curso as seguintes ações:

Reabilitação do Cais de Pesca de Santa Cruz

Existência de um espaço próprio de apoio as atividades ligadas ao sector das pescas

Instalação e recuperação de Dispositivos de Concentração de Pescado  

Em curso realização de ações de formação nas diversas áreas – qualidade, manutenção de máquinas de gelo, gestão de pequenos negócios, empreendedorismo, construção naval, marinheiro pescador;

Disponibilização de kits para o apetrechamento das embarcações artesanais com sondas, equipamentos de apoio à navegação e segurança no mar;

Em curso, distribuição de embarcações destinados as comunidades

 

 

 

 

Entre em contacto connosco para mais informações.

© www.anmcv.com - 2010
Dom DigitalProduzido por Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.