São Felipe

 

Actividades económicas 

Sendo um concelho rural, mais de 70% da população vive no campo dependendo da agricultura e pecuária e dos trabalhos públicos. Uma parte significativa da população encontra-se emigrada nos Estados Unidos, Portugal e Angola, contribuindo assim para o desenvolvimento do município. 

Das actividades económicas existentes no município, destacamos a agricultura, incluindo silvicultura e pecuária, ocupando 38,6% da população residente. 

A cidade de São Filipe constitui o principal centro urbano da ilha do Fogo, nó de ligação com as outras ilhas do país, porto e aeroporto de entrada e saída de pessoas e bens. Maior centro comercial, sede de agências bancárias, agências de viagens, área de negócios, animação e alojamento, sede do Hospital Regional da ilha, do Comando Regional da Policia Nacional das ilhas do Fogo e Brava e da maior parte do comércio a grosso, no quadro funcional a verdadeira capital das duas ilhas.

Nesta perspectiva, S. Filipe é o maior centro de convergência migratória dos que abandonam o campo na mira de encontrar alternativa à vida rural. Registe-se, no entanto, que os que abandonam as terras rurais na ilha do Fogo migram em grande parte para a vizinha ilha de Santiago. A actividade económica dominante na cidade é o comércio e serviços, lugar de troca e abastecimento por excelência da ilha, com grande peso do sector informal. A agricultura e a pecuária desempenham um papel determinante no Concelho que, como vimos antes, tem mais população rural do que urbana.

 

Agricultura

Dominam as explorações familiares, e grande parte da produção agrícola é destinada ao consumo doméstico, sobretudo a produção do milho e feijões. As legumi¬nosas, o amendoim, as frutas e os tubérculos5 são com¬ercializados nos anos excedentários e uma parcela con¬siderável é exportada para a ilha de Santiago através de rabidantes. 

Recentemente, com a adopção de novos sistemas de rega (nomeadamente gota- a -gota), muitas famílias dos arre¬dores da cidade exploram pequenas hortas e pomares para autoconsumo e para venda no mercado local.

Os maiores constrangimentos do sector agrícola estão ligados à seca e a aleatoriedade das precipitações. No último quartel do século XX, o crescimento da popu¬lação teve efeito na elevação do peso demográfico sobre a terra arável com o consequente abandono do campo pela população jovem.

A viticultura e a fruticultura têm melhorado considerav¬elmente nos últimos anos e possuem consideráveis po¬tencialidades de exportação para outras ilhas e para o exterior do País.

 

Pecuária

à pecuária, que é tida como complemento da agricultura, à semelhança das outras ilhas agrícolas. Assim, os criadores são também agricultores que na época das chuvas exercem as duas actividades e na época seca cuidam dos animais. Ligado à pecuária está a fabricação de queijo e da manteiga, cuja produção em¬bora feita de forma tradicional, é vendida no mercado local e exportada para a ilha de Santiago. No perímetro urbano, a pecuária aparece sobretudo nos bairros infor¬mais com domínio para os suínos, caprinos e aves.

O principal porto de pescas é o Vale dos Cavaleiros, mas existem outras gamboas de arrasto como a praia de Nossa Senhora e Boqueirão. 

As principais espécies capturadas são: Garoupa, serra, atum, cavala, chicharro, forcado, badejo e mariscos, sobretudo a lagosta. A população de Beltchés e Fonte Aleixo se dedica à pesca, seguindo uma tradição anti¬ga dos moradores desta área da cidade. A produção da pesca artesanal é destinada sobretudo para o consumo local.

 

Comércio

Na cidade de São Filipe, a actividade comercial abrange tanto o comércio a grosso como a retalho e o sector in¬formal. O comércio a grosso beneficia da proximidade do principal porto de entrada da ilha e presta serviço a toda a ilha do Fogo. Em relação ao sector informal há uma grande ligação à diáspora residente nos Estados Unidos da América que fornece roupas usadas, produtos cosméticos, electrodomésticos, têxteis, calçados e bugi¬gangas diversas passando por medicamentos e comida enlatada. 

A cidade é servida por muitas lojas de venda a grosso, minimercados, supermercado e um mercado municipal. Há, portanto, uma troca intensa entre a cidade de São Filipe e as outras cidades da ilha assim como para o resto da ilha.

 

Pesca

O principal porto de pescas é o Vale dos Cavaleiros, mas existem outras gamboas de arrasto como a praia de Nossa Senhora e Boqueirão. As potencialidades dos recursos haliêuticos foram estimados entre 4.800 a 5.500 toneladas/ano, mas considerando os meios técnicos de fraca eficiência, a média de captura ronda as 400 toneladas/ ano (menos de 10 por cento). Os 370 pescadores profissionais utilizam embarcações de boca aberta de menos de seis metros de cumprimento (botes). 

As principais espécies capturadas são: Garoupa, serra, atum, cavala, chicharro, forcado, badejo e mariscos, sobretudo a lagosta. A população de Beltchés e Fonte Aleixo se dedica à pesca, seguindo uma tradição antiga dos moradores desta área da cidade. A produção da pesca artesanal é destinada sobretudo para o consumo local.(Perfil Urbano de São Filipe).

 

 

No município de São Filipe fica situado o porto de Vale de Cavaleiros e o aeródromo de São Filipe, as principais portas de entrada da ilha do Fogo.

© www.anmcv.com - 2010
Dom DigitalProduzido por Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.