Maio vai ter escritório para gerir as áreas protegidas

A Direcção-geral do Ambiente vai abrir, no final deste ano, um escritório insular que irá gerir as áreas protegidas da ilha, anunciou o Director-geral do Ambiente, Moisés Borges.

De acordo com aquele responsável, o escritório vai funcionar com as parcerias da Câmara Municipal do Maio e da Fundação Maio Biodiversidade.

“Os limites das áreas protegidas vão ser fixados ainda este ano e o plano de gestão das áreas protegidas serão aprovados também este ano e se possível arrancará com a co-gestão ainda este ano”, informou Moisés Borges.

O projecto vai ser posteriormente alargado às outras ilhas do país e será administrado por uma entidade nacional a ser criada pelo ministério de Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território até início de 2015.

De acordo com o Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território, Antero Veiga, a criação da Rede Nacional das Áreas Protegidas é um facto relativamente recente no país, sendo que, primeiramente, foram criadas as condições prévias para a criação dessa entidade, como a declaração das áreas protegidas e os planos da sua conservação.

No início deste mês os Conselhos Assessores de Áreas Protegidas (CAAP) foram oficializados e têm como propósito, garantir a participação efectiva das comunidades locais no processo de implementação dos instrumentos para a gestão das áreas protegidas do país, num total de 47.

Fazem parte dos Conselhos Assessores de Áreas Protegidas, serviços desconcentrados do Estado, as câmaras municipais, as associações locais, as organizações não-governamentais (ONG), entre outras instituições.

© www.anmcv.com - 2010
Dom DigitalProduzido por Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.