MAIO: PROJECTO CULTURAL DA REDE SETE SOIS SETE LUAS VAI PROMOVER A GASTRONOMIA E A MÚSICA DA ILHA EM 2016

 

Porto Inglês, 16 Dez (Inforpress) – A ilha do Maio vai ser contemplado a partir do primeiro trimeste de 2016, com um projecto cultural e turístico, no âmbito do qual vai-se promover a gastronomia local com a vinda de mestres de cozinha e pôr de pé duas bandas integradas por músicos locais.

A novidade foi avançada hoje à Inforpress pelo director cultural da rede do Festival Sete Sois Sete Luas, Marcos Abbondanza, indicando que o objectivo deste projecto é o de dinamizar a cultura local, desde a música até à gastronomia, por forma a oferecer aos que visitem a ilha do Maio, produtos típicos e culturais locais, mas de uma forma organizada.

Marcos Abbondanza indicou, no entanto, que para se atingir este objectivo o projecto pretende trazer para a ilha tanto profissionais do ramo da culinária como da música e formar técnicos locais no ramo da gastronomia, mas com enfoque nos pratos tradicionais da ilha do Maio, na mesma linha que virão também à ilha mestres no ramo da música para formar músicos com o objectivo de se criar duas bandas locais.

Explicou que estas mesmas bandas vão animar as noites locais no palco a ser criado no Forte S. José e ao mesmo tempo representar a ilha em qualquer evento que a rede de Festival Sete Sois Sete Luas venha a desenvolver, tanto cem Cabo Verde como em vários países europeus e não só.

“Estas duas bandas que vamos criar aqui na ilha do Maio deverão trabalhar uma programação regular, porque pretendemos criar um palco ali no forte de S. José em que pelo menos essas bandas possam oferecer dois espectáculos por semana e a nossa intenção é que essas mesmas bandas sejam apresentadas já no próximo festival de 2016”, fez saber.

Marcos Abbondanza disse ainda, que com este projecto não pretendem ensinar a música às pessoas, mas sim trabalhar com os músicos locais o conceito da banda, dos arranjos, do repertório e da composição e para tal garantiu que vão deslocar-se à ilha do Maio conceituados mestres que vão ministrar essas formações.

Ainda enquadrado neste projecto, vão deslocar-se também à ilha do Maio artistas ligados à pintura, grafismo, mais concretamente ao street art, que vão realizar exposições, tendo sempre como palco o forte S. José, e esses mesmos artistas farão palestras nas escolas, por forma a passarem os seus conhecimentos aos mais jovens.

“Em relação ao street art, vão deslocar-se à ilha artistas com larga experiência no ramo e que vão aproveitar a sua estadia para embelezar a cidade do Porto Inglês com temas típicos da ilha, permitindo assim que os turistas fiquem a conhecer também através da arte um pouco da história e a identidade cultural local, mas que também possam sair daqui artistas neste ramo capazes de representar a ilha nos eventos que realizamos”, frisou.

Marcos Abbondanza destacou ainda que com este mesmo projecto, pretendem dinamizar o turismo cultural da ilha, trazendo pessoas de vários cantos da Europa durante o ano inteiro, para conhecerem a ilha do Maio e a sua cultural, tanto musical como gastronómico.

Por seu turno, o vereador da Cultural na Câmara Municipal do Maio, Adriano Silva mostrou-se agradado com este projecto financiado pela União Europeia em Cabo Verde e que também conta com a colaboração das câmaras municipais que fazem parte da rede.

Com isso, o vereador afiançou que este projecto chegou em boa hora e que espera bons resultados do mesmo.

WN/FP

Inforpress/Fim

 

© www.anmcv.com - 2010
Dom DigitalProduzido por Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.