Emigração clandestina da costa africana preocupa autoridades

A preocupação maior das autoridades prende-se com o facto de ter um espaço grande para colocar as pessoas em quarentena caso seja necessário.

As autoridades portuárias e policiais mostram-se receosas do “risco eminente” de imigração clandestina da costa africana, através da Marina do Mindelo, por não terem total controlo sobre as embarcações que aportam naquele local.

Esta preocupação foi levantada por Augusto Neves, presidente da Câmara Municipal de São Vicente, num encontro realizado ontem, dia 9, nos Paços do Concelho, com os responsáveis locais dos variados sectores de serviço, avançou a Inforpress.

Alcides luz, comandante da Polícia Nacional (PN), na ilha, avança que quanto ao porto grande e ao aeroporto internacional Aeroporto Cesária Évora e Cabnave, as “portas de entrada” estão controladas pela PN, o que não acontece com a Marina.

A preocupação quanto às embarcações clandestinas recai num espaço grande, que sirva para colocar as pessoas em quarentena caso seja necessário, visto que as instalações do Morro Branco, que habitualmente servem para casos do género, estão neste momento ocupadas com a instrução da incorporação de 2014.

Mesmo com o controlo das fronteiras, Augusto Neves frisou muito a necessidade de transmissão “cada vez mais” de informações sobre o Ébola, que acredita ser “uma grande arma” no combate da epidemia.

© www.anmcv.com - 2010
Dom DigitalProduzido por Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.