CIDADE VELHA: POUSADA DE SÃO PEDRO PASSOU PARA GESTÃO MUNICIPAL.

A POUSADA FOI DESENHADA PELO ARQUITECTO PORTUGUÊS SIZA VIEIRA

 

A Pousada de São Pedro, desenhada pelo arquiteto português Siza Vieira na Cidade Velha, património mundial da humanidade desde 2009, passou hoje para a gestão da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago.


O ato de assinatura do acordo de cedência da Pousada de São Pedro, cuja gestão passou agora do Instituto de Património Cultural (IPC) para a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, foi presidida pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente.


O acordo hoje firmado faz parte do processo de valorização da Cidade Velha, património mundial da humanidade, segundo o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.


Composta por um conjunto de casas antigas recuperado pelo arquiteto português Álvaro Siza Vieira e localizada a poucos metros do centro da Cidade Velha, a Pousada de São Pedro encontrava-se completamente vandalizada em 2016.


Na altura, a agência Lusa constatou a falta de segurança da pousada e sinais de degradação, como portas caídas e paredes sujas, vidros partidos e lixo por toda a parte.


Após a assinatura do acordo de cedência, foi apresentado no Centro Cultural da Cidade Velha o “Manual Ilustrado de Normas Urbanísticas para Cidade Velha�, um projeto da UNESCO que pretende envolver os moradores em ações de sensibilização e formação e propor alternativas para os projetos arquitetónicos, garantindo harmonia nas construções.


Em janeiro, o presidente do Instituto do Património Cultural (IPC) de Cabo Verde, Jair Fernandes, admitiu que quase 20% das casas na Cidade Velha são clandestinas, mas garantiu que isso não põe em causa o título de património mundial.


Na altura, Jair Fernandes disse à agência Lusa que o IPC e a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago fizeram um levantamento de 273 casas na Cidade Velha e, destas, 54 são clandestinas, correspondendo a 19,7%.


Denominados de "casos dissonantes", o presidente do IPC disse que são pessoas que construíram sem o respetivo projeto ou projetos que foram alterados, edifícios construídos na via pública, outras em terreno pertencente a outro proprietário ou em terreno municipal.


A 26 de junho de 2009, a Cidade Velha foi declarada pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) Património Mundial da Humanidade.


Também conhecida por Ribeira Grande de Santiago, a localidade foi descoberta pelos portugueses em 1460 e, dois anos mais tarde, foi ali criada a primeira cidade do mundo construída por europeus nos trópicos, mais precisamente por Portugal, tornando-se a primeira capital do arquipélago, título que ostentou até 1770, altura em que se deu a passagem oficial para a Praia de Santa Maria, a atual Cidade da Praia.


O processo de candidatura da Cidade Velha, 15 quilómetros a oeste da Cidade da Praia, arrastou-se há 10 anos, mas ganhou impulso após a apresentação do dossier à UNESCO, a 31 de janeiro de 2008.


Naquela localidade, o imponente forte, com as suas antigas peças de artilharia, remete para o passado desta cidade. Mais abaixo, as ruínas da Sé Catedral ensinam que esta agora pacata cidade no interior da ilha de Santiago sofreu muitos ataques, principalmente dos piratas que, nos séculos XVI, XVII e XVIII, navegavam pelos mares à procura do que saquear.


A Cidade Velha não fugiu à sina, nem tão pouco à destruição da Sé Catedral, alguns anos após o término da sua construção e ainda hoje se conseguem ver provas disso.


A cidade, que tem no mar a sua principal função, foi erigida no século XV para servir de ponto de abastecimento para o comércio de escravos entre África e América.

 

FONTE: SAPOVIAJAR

© www.anmcv.com - 2010
Dom DigitalProduzido por Dom Digital.
Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.